Sobre

               Alessandro Arlindo de Oliveira Assunção, mais conhecido como Sandrox, é música brasileira e a poesia falada. Ele aposta na mistura do rap com ritmos brasileiros e muitas guitarras para trazer reflexão e entretenimento ao público. Livre de rótulos e prisões que dominam o universo musical, o MC de Samambaia-DF leva aos palcos por onde passa sonoridade com influências e referências que vão desde o sambista carioca Martinho da Vila ao DJ e produtor musical norte-americano J. Dilla.

  

             Influenciado por bandas como Câmbio Negro e Rage Against The Machine, empunhou sua guitarra guerrilheira, e suas letras engajadas em causas sociais, nos 3 discos da banda de rap & rock 10zer04[1], fundada na virada dos anos 2000, em Samambaia-DF. Principal compositor da banda, Sandrox[2] já buscava mesclar ao som elementos da música regional brasileira, como a catira, o repente e o lundu. Vale destacar que a 10zer04 foi a primeira banda gravada e produzida pelo guitarrista e líder da banda Plebe Rude, Philippe Seabra.

            Em 2013 Sandrox lançou o duo “Lua Elétrika & Satélites Graves” que mesclava o rap e a música eletrônica, tendo participado de alguns festivais como o “Sai da Lata", “YO Music Festival”, “Rap Cerrado”, dentre outros. No ano de 2016, Sandrox começou a se dedicar exclusivamente à sua carreira solo e em 2017, bastante influenciado pela mistura do rap com o samba, lançou o EP “Reencarnado”. Em 2018 Sandrox foi o grande vencedor pelo júri técnico do concurso de bandas “Brasília Independente”, idealizado pela jornalista Márcia Witczak e realizado pela Rede Globo Brasília. Em 2019, lançou nas plataformas de streaming os singles "Risos & Lágrimas", que também saiu em videoclipe, "Samba Biônico", com participação da cantora Thabata Lorena e “Malandrear”, que contou com a participação do rapper Wandin. 

           2020 promete muita ação e produção. Sandrox já lançou o single “Alvorada (2000 & Sempre)”, onde traz uma mensagem de positividade para todos aqueles que buscam um recomeço neste novo ano. Além disso, Sandrox mergulhará de cabeça na composição do seu primeiro álbum, ainda sem nome.

 

                Sandrox utiliza a música como ferramenta pedagógica e é arte educador do “Projeto R.A.P. (Ressocialização, Autonomia e Protagonismo)”, onde realiza trabalhos de musicalização para jovens e adultos, sobretudo aqueles em condições de privação de liberdade ou de vulnerabilidade social. 

 

                Foi compositor e facilitador na realização da música/videoclipe “18 Razões (Pela Não Redução da Maioridade Penal)” que foi selecionado para exibição no 52º Festival de Cinema de Brasília.

 

           Junto com egressos do sistema socioeducativo foi convidado pelo Conselho Federal de Química para criar a música “Rímica” que foi o jingle de comemoração dos 150 anos da tabela periódica. 

 

            Sandrox ainda usa suas experiências pessoais com o Transtorno Depressivo Maior e desenvolve trabalhos em escolas públicas dialogando com a juventude sobre valorização da vida, depressão, prevenção ao suicídio e combate ao uso de drogas.

 

[1] 1998. 10zer04 foi uma das bandas pioneiras da cena artística de Samambaia-DF e é tida por muitos críticos/jornalistas como a banda que inseriu a cidade de Samambaia no cenário nacional.

[2] Durante muitos anos Sandrox assinava como Xoquitu/Chockito ou Alessandro Oliveira/Alessandro Assunção.

Release+Clipping

  • Instagram - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

©2020 Todos os direitos reservados a Sandrox